Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Librarian

why so salty?

Katerina, quem pensas tu enganar com os teus posts? As tuas inocentes leitoras que anseiam por alguma ação na vida? Ou a ti mesma que escreves sobre a vida que anseias ter mas está tão distante como a lua está da terra?
xoxo,
The Curious Reader

 

Se há uma coisa na minha personalidade que ainda não consegui dominar, é a minha relutância em ficar calada. Estava a planear ignorar esta mensagem (e fazer de adulta), mas isso não teria graça nenhuma.

Estou confusa com a percepção que o leitor tem da minha vida, e a sua definição de uma vida cheia de acção. Foi a minha única semana de férias durante 3 meses? Foram os meus textos sobre literatura? Foi a minha entusiasmante descrição de um trabalho de verão no escritório? A falta de qualquer tipo de romance na minha vida? Ou foi mesmo aquele post que escrevi aqui há uns tempos sobre um (um!) episódio interessante que me aconteceu há uns anos atrás?

 

São as viagens entre o Reino Unido e Portugal que parecem assim tão glamorosas? Aquelas que faço por lá estar a estudar e por ser filha e irmã de emigrantes?

 

Agora, serão as minhas habilidades académicas que despontam esta óbvia animosidade? Se é esse o caso, sorry but not sorry. Sinto-me muito orgulhosa por ter conseguido uma bolsa (porque sou inteligente e trabalhadora) numa das melhores universidades europeias. Sim, vou mencionar esse facto em todas as oportunidades que tiver. Não sou uma pessoa humilde, e sinceramente - é o meu blog pessoal. Deal with it.

 

footer.png

 

Setembro em Mallorca

Acabei de voltar da minha semana de férias em Mallorca - era uma pausa que eu realmente precisava acabámos por ter uns dias maravilhosos! Adorei ver a Catedral de Palma, e voltei com um livro sobre o trabalho de Gaudí no edifício, foi uma bela visita. Também há quase quatro anos que eu não ia à praia, mas adoro o mar, portanto nadar no Parque Nacional de Cala Mondrago foi como voltar para casa.

 

FotorCreated.png

 

Por alguma razão, tenho uma enxurrada de mensagens e vou tentar responder a algumas delas nos próximos dias, também me estou a preparar para voltar a Cambridge dia 1 de Outubro e começar o meu segundo termo de Michaelmas, pelo que serão umas semanas muito ocupadas.

Estou incrivelmente entusiasmada para começar o segundo ano: depois de um óptimo verão sinto-me revigorada, e pela primeira vez penso que estou realmente preparada para o ano lectivo. Toda aquela frivolidade de descansar na praia durante a semana passada / esperando em aeroportos deu-me tempo suficiente para ter todas as minhas leituras em dia.

E vou agora reservar o meu bilhete de comboio para Birmingham, porque dia 3 de Outubro o meu irmão vai abrir a sua primeira exposição de pintura, e não podia estar mais feliz por ter mais um artista na família.

 

E vocês, como foram as férias?

footer.png

 

quick update - books and candy

B_ROBkoW0AIxENS.jpg

 

Peço desculpa pelo silêncio - as minhas leituras para as férias estão em curso (isto nem sequer é uma fracção do número de livros que tenho lido, não sei de devo ficar orgulhosa ou se devo chorar). 

Vou para Espanha passar uma semana com a minha mãe, e de momento estou a tentar decidir que livros devo levar. Tenho lido vários livros teóricos nas últimas semanas para o meu trabalho sobre a História da Teoria Literária, por isso ler alguns destes livros será uma pausa agradável, e estou entusiasmada para apanhar um pouco de sol - há anos que não tenho férias de praia.

 

Como de costume, tive de subornar os meus irmãos com doces em troca da minha semana em Espanha com a mãe. Mas como podem ver, estava preparada.

 

12007146_1059269847426461_1713821714_n.jpg

 

footer.png

 

COFFEE, I LOVE YOU

I've done it. Ultrapassei o meu limite de cafeína e agora ninguém me pode parar. 

Toda a gente sabe que eu sou obcecada com café, e durante este ano lectivo o meu médico obrigou-me a cortar na cafeína, e foi o que fiz. Passei a beber grandes quantidades de chá, e não morri.

Durante as férias voltei ao café, mas no Reino Unido não é a mesma coisa e se quiser um café decente tenho de pagar 5 euros por um double-expresso no Starbucks (não vai acontecer). Hoje quando acordei de manhã (cheguei ontem a Portugal), conseguia sentir o cheiro de café acabado de fazer a vir da cozinha. Café. Café a sério. Importado da Costa Rica. Intenso, amargo, divino. Sentei-me na cozinha e bebi três chávenas só durante a parte da manhã. Depois decidi beber um expresso, a minha máquina tem várias opções - suave, normal, forte, extra forte, e extra extra forte - escolhi o último. Passadas duas horas enchi mais uma caneca de café e adicionei-lhe um expresso, só porque posso.

Estou a mil à hora - mal consigo escrever. Arrumei a casa, lavei o pátio, cortei a relva, passei a ferro, fui às compras, arranjei a televisão e quase morri electrocutada. 

Apetece-me saltar e correr (o horror!), e a voz dentro da minha cabeça grita coisas como "QUERO SER UMA ASTRONAUTA!", e dou por mim a ler artigos sobre astrofísica na wikipédia.

Como é que eu fui capaz de viver seis meses sem café? Isto é fantástico!

footer.png